Dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, apontam que em julho Osasco registrou saldo positivo de 971 vagas. Foram 8.126 admissões contra 7.155 desligamentos.

 

Novamente o destaque foi para o setor de Serviços, com admissão de 673 trabalhadores, seguido pela Construção Civil (154), Comércio (111), Indústria (32) e Agropecuária (1). Já o estoque, que é a quantidade total de vínculos ativos pela CLT, chegou a 178.109 vínculos.

 

A geração de novos empregos na cidade se explica não só pelo trabalho da Administração em políticas fiscais visando atrair novas empresas, mas também pelos investimentos em infraestrutura, como o recapeamento, nova iluminação pública com lâmpadas de LED, reforço na segurança, com a contratação de novos guardas municipais, criação da ROMU e instalação de câmeras de monitoramento em diversos pontos do município, entre outros.

 

Somados, tais fatores contribuem para que as empresas se sintam mais seguras para investir na cidade, que tem a segunda maior economia no Estado e a oitava do País.

 

O fato de Osasco estar geograficamente situada entre as principais rodovias do Estado, como Castello Branco, Anhanguera, Raposo Tavares e Rodoanel Mário Covas, também contribuiu para o interesse do setor privado na cidade em razão da maior facilidade para a logística quanto à chegada de insumos, produção, transporte e distribuição do produto já pronto para consumo.

 

Entre as empresas que escolheram Osasco para tocar seus negócios recentemente estão a Mercado Livre, iFood, Rappi e Mercadocar.

 

DESTAQUE

 

Em 2021, Osasco se destacou por encerrar o ano como a cidade que mais gerou empregos no Brasil, com mais de 100 mil novos postos de trabalho.

 

Dados do Caged apontaram que entre as cidades com mais de 200 mil habitantes, as líderes em geração de vagas foram Osasco, com alta de 16% em relação a 2020 e saldo de 24 mil novos empregos, seguida por Nova Hamburgo (RS), que apresentou alta de 12% e saldo de 7,74 mil postos. Osasco e Nova Hamburgo tiveram os desempenhos puxados pelo segmento de tecnologia.


Infornações: Marco Borba

Foto: Marcelo Deck